Policial

ATUALIZADA - Ex-mulher de deputado atropela criança e foge do local do acidente

ATUALIZADA - Ex-mulher de deputado atropela criança e foge do local do acidente

A mãe do menino de três anos atropelado e morto pela blogueira Lidiane Campos negou nesta segunda-feira (12) que ela tenha feito qualquer tentativa de contato com a família da vítima.
 
Flávia Augusta da Silva também se mostrou revoltada com a falta de socorro e com o fato de Lidiane não ter sido presa.
 
O acidente aconteceu na noite de domingo (11) em Rondonópolis (220 km de Cuiabá).
 
A blogueira, mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti, teria atingido a motocicleta em que estavam a criança, seu pai Marcos Souza da Costa e a atual companheira dele. O garoto morreu no local.
 
Ao fim do enterro do filho, na tarde desta segunda-feira, Flávia estava arrasada pela perda e indignada com a afirmação da defesa da blogueira, de que tentou prestar ajuda à família.
 
“Ninguém apareceu. Eles não ajudaram em nada. Quem fez tudo fomos nós da família, mais ninguém. Dizem que estão ajudando, mas não estão nada. Ninguém veio aqui falar nada. Isso é mentira”, afirmou pelo telefone, ainda chorando muito.
 
A defesa de Lidiane, no entanto, garante que enviou uma assistente social para falar com a família, mas que a profissional não foi recebida.
 
A mãe ainda questionou o fato de Lidiane ainda não ter sido detida pela Polícia Civil.
 
“Eu também não sei por que ela não foi presa ainda. Você dirigir em alta velocidade e invadir a preferencial é demais. O pior foi fugir. Ela podia ter parado”, disse.
 
Revoltada com a situação, Flávia pede para que a justiça responsabilize a blogueira.
 
"Não tem como falar como é perder um filho desse jeito. É difícil. Eu só quero que se faça justiça. Ela não prestou socorro, ela fugiu do lugar”.
 
Dia dos Pais
 
O menino tinha passado o Dia dos Pais com Marcos e estava a caminho da casa da mãe. O pai disse que chegou a ver a caminhonete de Lidiane em alta velocidade indo em sua direção, mas não teve tempo de reagir.
 
“A gente estava vindo do Horto Florestal com meu filho, depois de passar o Dia dos Pais. Aí, passamos pelo semáforo e vimos a caminhonete em alta velocidade, muito rápida mesmo. Não deu tempo de fazer nada”, relatou.
 
Ele ainda disse que viu seu filho e a esposa estirados no chão, mas não conseguiu socorrê-los, pois também estava ferido.
 
“Eu fiquei muito desesperado. Eu vi meu filho desmaiado e minha esposa no chão também. Eu não sabia o que fazer, estava muito desesperado”, relembrou.

A mãe contou que estava em casa esperando pelo menino, mas foi surpreendida ao ser chamada para ir ao Hospital Regional.

“Eu só fiquei sabendo para ir ao Hospital Regional, lá me contaram o que houve. Fui umas 18h40 mais ou menos”, descreveu Flávia.

Segundo o boletim de ocorrência, o acidente aconteceu por volta das 18h40 de domingo.

O casal teve ferimentos leves e não corre risco de morte. Já a criança, que estaria sem capacete, bateu a cabeça no chão e morreu.

Conforme o BO, em seguida, a mulher do ex-deputado teria fugido do local do acidente e, posteriormente, voltado e abandonado o carro.

"O veículo foi localizado na própria Rua XV de Novembro, abandonado de frente à residência de número 1316, fundos do mercado Favorito", diz trecho do documento.

O carro foi apreendido pela Polícia e levado para o pátio da 1ª DP de Rondonópolis. 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB-MT), Lidiane Campos, suspeita de ter atropelado e matado uma criança, de 3 anos, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, afirmou, por meio de advogado, que deixou o local do acidente por medo de ser agredida.

Lidiane dirigia uma caminhonete que atingiu uma motocicleta por um casal e a criança. O acidente ocorreu na noite de domingo (11).

Estavam na moto Dayane Palmeiras dos Santos, de 35 anos, o marido dela, Marcos Souza da Costa, de 30 anos, e Daniel Augusto Costa, de 3 anos, filho de Marcos e enteado de Dayane. Eles retornavam de uma comemoração do Dia dos Pais.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Civil, Lidiane não prestou socorro, fugiu do local e abandonou o veículo.

O advogado dela, Wilson Lopes, afirmou que Lidiane deixou o local com medo de ser agredida depois de ser cercada por testemunhas.

“Ela foi fazer a conversão à direita e a motocicleta surgiu repentinamente. Ela ficou absolutamente desnorteada e descontrolou-se emocionalmente, não conseguiu frear”, afirmou Lopes.

O veículo ainda prosseguiu por alguns metros e Lidiane entrou na contramão.

“Quando ela percebeu que estava um pouco adiante, algumas pessoas se aproximaram, cercaram e pararam o veículo. Ela se assustou, ficou com medo de ser agredida”, completou o advogado.

Uma das testemunhas retirou Lidiane do local e Sachatti foi avisado sobre o acidente. O advogado afirma que o ex-deputado ofereceu ajuda, inclusive quis até o velório, mas, na versão deles, a família da criança recusou qualquer tipo de ajuda.

Mais informações sobre o caso clique aqui.