Saúde

6ª Conferência Municipal de Saúde seleciona pautas de Querência que devem ir à etapa estadual

6ª Conferência Municipal de Saúde seleciona pautas de Querência que devem ir à etapa estadual

A 6ª Conferência Municipal de Saúde, que aconteceu nesta quarta-feira (22), com o tema ‘Democracia e Saúde’, aprovou as pautas consideradas relevantes para a melhoria da saúde do município, além de também eleger os delegados responsáveis por defender estas propostas na etapa estadual das conferências.

Antes de realizar a etapa municipal, o Conselho Municipal de Saúde, responsável pela realização do evento, organizou pré-conferências na zona rural. Segundo a presidente do Conselho Municipal de Saúde, a enfermeira Bruna Santini, essa foi a primeira vez em que foram realizadas as pré-conferências.

“A gente teve uma participação bem grande da população, teve assentamento que deu 75 pessoas numa pré-conferência só. No Coutinho União a gente acabou realizando duas pré-conferências: uma no PSF e outra na escola.. Então a gente acabou ouvindo os dois lados,” afirma Bruna.

Entre as ideias que foram trazidas pela comunidade da zona rural, está a ideia de haver uma casa de apoio no município para que as pessoas que vem para cidade por motivos de saúde tenham um local para ficar. Segundo Bruna Santini, em conversa com a secretária de saúde , Lubiane Boher, ela deu um sinal bastante positivo sobre esta proposta.

Outra ideia é que seja feito a agendamento de exames na própria zona rural, sem precisar vir para a zona urbana, pois atualmente, os pacientes precisam vir até a Secretaria de Saúde, no centro da cidade, agendar e posteriormente retornar na data marcada para realizar o exame. A população da zona rural alega que há um desgaste muito grande com essa quantidade de deslocamento.

 

Democracia e saúde

Para o vice-prefeito, João Pizzi, é importante que as pessoas que vão para a conferência estadual tenham em mente que elas precisam defender as propostas levadas daqui. Segundo ele, as propostas do interior ajudam muito na melhoria da qualidade da saúde.

Um dos palestrantes da 6ª Conferência Municipal da Saúde, Teodoro Magalhães, representante do Conselho Estadual de Saúde, ministrou uma palestra sobre Saúde como Direito. Ele explica que o tema da conferência relacionado a democracia possui vários eixos, como financiamento, o SUS como mecanismo de assistência, etc.

“A saúde como um direito, nós temos a partir de 1988 com a Constituição, até então não era um direito mesmo, isso foi baseado na carta das Declarações dos Direitos Humanos de 1948. Que trouxe para bojo da Constituição brasileira esse princípio,” ele explica.

Segundo ele, esse direito está sendo ameaçado principalmente agora onde o país vive um momento político que se discute a possibilidade de haver uma transição de um “Estado que foi desenhado para ser um Estado de bem estar social, para um Estado liberal, onde a função do Estado não é dar esse suporte social para a população,” afirma. Além disso, ele diz que a Constituição não foi feita prevendo um estado liberal.

“O momento agora é de a gente discutir que tipo de Estado nós queremos. É muito mais importante a gente discutir o que nós queremos agora a partir de uma política, que no caso, aqui é a política de saúde, mas discutir o todo,” finalizou.

O Conselho irá disponibilizar em breve todas as propostas aprovadas.