NOTÍCIA - Policial/Acidente

10 de outubro de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Servidores são suspeitos de fraudar tornozeleiras.

Eles teriam recebido vantagens indevidas para alterar dados do sistema.
Servidores são suspeitos de fraudar tornozeleiras.

Polícia Civil realiza na manhã desta terça-feira (10) uma operação para investigar servidores que estariam comercializando lacres falsos de tornozeleiras eletrônicas em Mato Grosso.

Oito ordens judiciais - sendo quatro mandados de busca e apreensão domiciliar e quatro conduções coercitivas - foram cumpridas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, na manhã desta terça-feira (10), em Cuiabá.

Os investigados são servidores estaduais, que supostamente estariam recebendo vantagens indevidas para alterar dados do sistema de monitoramento eletrônico da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

Conforme o delegado de polícia do GCCO, Diogo Santana Souza, as investigações começaram há cerca de três meses e está apenas no início.

“A ação deflagrada hoje teve como principal objetivo apreender os aparelhos celulares dos investigados. Eles também foram conduzidos à delegacia e serão interrogados acerca dos fatos. Os suspeitos poderão responder pelos crimes organização criminosa, corrupção passiva e extorsão”, disse o delegado.

Os indícios apontam um suposto esquema ilegal, envolvendo servidores que trabalham ou já trabalham no setor de monitoramento. Toda a investigação conta com o apoio da Sejudh. As ordens judiciais foram decretadas pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá.

Servidores são suspeitos de fraudar tornozeleiras.
Fonte: Querência em Foco com Midia News

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.